segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

A outra face


Do alto da montanha, certa vez, o Mestre disse:
"Se alguém lhe der um tapa na face direita, ofereça-lhe também a esquerda!" (Mateus 5: 39).

Vários tapas tomei na face direita, 
E a esquerda, em seguida, ofertei.
Do mesmo modo o fiz
Quando ferida fui, também, 
Do lado esquerdo.
Por inúmeras vezes, 
Por diversos motivos
Das mesmas pessoas apanhei.

Decidi refletir sobre o ensinamento do Mestre
E compreendi que oferecer a outra face, na verdade
É agir com pacifismo...
Não com submissão e conformismo.




A partir de então, sobre minha face
Só aceito beijos, afagos, carícias...
Tapas, quando e se vierem, 
Serão sentidos de um único lado
Pois o outro já terá se virado
Na direção oposta
Com a própria força gerada pela pancada. 

Então, a única coisa que oferecerei ao agressor neste caso, 
Será a bela face das minhas costas.




6 comentários:

  1. As palavras conversam mesmo com a imagem aqui... uma boa semana Luana. beijos.

    Carmen.

    ResponderExcluir
  2. Lindo e triste. Bela imagem também.

    ResponderExcluir
  3. Quão prazeroso ler estas palavras.... induzindo a reflexão.

    ResponderExcluir
  4. "É agir com pacifismo...
    Não com submissão e conformismo"

    Ah... se todas as pessoas aprendessem isso...

    belo poema...
    inspirador...

    ResponderExcluir
  5. Belíssimo poema!
    Muita verdade em suas palavras.

    Te sigo.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir